10
Dez
09

Palavras

“Somos donos do que calamos e escravos do que falamos.”
As palavras ditas são como grãos de areia jogados no caminho. Ainda que se tente voltar a ajuntar tudo o que foi solto, jamais se consegue recuperar a totalidade. Sempre ficam resquícios. As palavras ditas são assim: nunca se pode voltar atrás e recuperar o que já disse. Tornamos-nos, então, escravos do que falamos.
Aquele que muita fala, muito se entrega, corre mais riscos, está sujeito às conseqüências e mais suscetível ao erro.
Já aquele que se cala está menos vulnerável e menos exposto. Torna-se senhor e não escravo.
Mas… O que seria do mundo sem as palavras ditas?
Como se iniciariam relacionamentos sem as palavras de amor?

Como aconteceriam as reconciliações sem as palavras de perdão?
Como escreveriam os livros sem as palavras dos poetas?
As palavras ditas ou escritas são primordiais para a evolução da sociedade.
O que falta é o equilíbrio entre o que deve ou não ser dito, o que pode ou não ferir quem ouve e se, o que se fala, gerará mudanças positivas ou não.
As palavras ganham credibilidade quando somadas com atitudes.
Portanto, fiquemos com as palavras de Confúncio, filósofo chinês, onde ele diz:

“Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos.”

Anúncios

0 Responses to “Palavras”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


Anúncios
Dezembro 2009
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

%d bloggers like this: