Author Archive for Mari Simionato

20
Jan
10

É ELE!

“Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você quando for preciso.
Ser amado é ver que ele lembra de coisas que você contou a tempos atrás, é ver como ele fica triste quando você está triste, e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d’água.
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão.
Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.
Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.
Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.
Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;
quem não levanta a voz, mas fala;
quem não concorda, mas escuta.
Para conquistarmos algo na vida não é necessário, apenas, força ou talento; é preciso, acima de tudo, ter vivido um grande amor” [Martha Medeiros]

Anúncios
20
Jan
10

Indico!

Willian Bonner é jornalista, apresentador e editor-chefe de um dos telejornais de maior audiência do Brasil e foi ele que deixou os estudantes de jornalismo babando quando lançou o livro JN – Modo de Fazer (Ed. Globo, 244 páginas) em setembro do ano passado.

O livro mostra de forma clara e com uma linguagem fácil o dia a dia do telejornal. Mostra a rotina da redação, reuniões de pauta, curiosidades, erros e acertos, biografia dos apresentadores e a evolução que o telejornal teve ao longo dos seus 40 anos de exibição.

Para quem é amante da comunicação, livro é um prato cheio! Pois ele dá dicas e sugestões práticas de como fazer jornalismo televisivo e, principalmente, o que não fazer na televisão.

Eu, como não fujo dessa paixão, ganhei o tal livro do meu namorado de presente de Natal (Aliás, o melhor presente!)

Li, risquei, fiz anotações, li novamente e aprendi muito!

Pude concluir que para voar alto e conquistar o que sonhamos basta um pouco de sorte, trabalho àrduo e muita força de vontade.

Foi assim que Fátima Bernardes, Willian Bonneer,  Carlos Henrique Schroder, Fernando Guimarães, Pedro Bassan, Ilze Scamparini, Marcos Losekan muitos outros fizeram o Jornal Nacional uma referência de telejornalismo brasileiro.

“Quem trabalha no JN sabe que participa de um produto que faz parte da vida de milhões de brasileiros. E a convivência de tantos anos entre o público e o telejornal uma intimidade. ” Fátima Bernardes.

Aprendi.

05
Jan
10

2009

Foi um ano de mudanças. Foi um ano de aprendizado, de romper limites, de trocar de roupa e de me permitir. Foi o ano que deixei pra traz os conceitos pré estabelecidos  das pessoas em relação à mim, deixei pra traz o medo de errar e de me frustrar e me permiti tentar.

Me frustrei algumas vezes, sorri em tantas outras. Chorei. Fiz minha barriga doer de tanto rir. Abandonei velhos hábitos, adquiri novos. Larguei alguns vício, me viciei em outros.

Cresci. Amadureci. Fiz coisas idiotas, ri de piadas de criança. Me tornei mais humana, ao mesmo tempo que aprendi a me amar. Aprendi coisas novas, revivi as velhas.

Me decepcionei com algumas pessoas que eu admirava, achei que todo mundo tivesse sentimentos. Quebrei a cara. Me reergui, dei a volta por cima e notei o valor que tem um conselho de mãe, um colo de pai e a defesa dos irmãos.

Passei a sonhar novos sonhos, mas sem abandonar os velhos. Sorri com os novos amigos e aprendi que os verdadeiros amigos são fiés, apesar de tudo. Além disso, aprendi que as diferenças separam, sim, as pessoas e que muitos são movidos de oportunismo e não de lealdade.

Nesse ano, passei a amar um novo amor. Um amor diferente, mais puro, mais maduro. Um amor que me faz crescer, amadurecer, ver as coisas com mais serenidade, mas sem perder a alegria e o riso. Um amor que não me faz chorar, mas que me faz rir até doer a barriga e chorar de tanta gargalhada! Um amor que me faz tão bem e que aconteceu no finalzinho do ano, pra fechar com chave de ouro!

 2009 não foi o ano da minha vida, mas foi o ano das mudanças e, principalmente de plantio. Foi o ano de semear. E, acima de todas as coisas, foi o ano em que vi o quanto Deus se preocupa comigo. O quanto minha vida e meus sentimentos tem importancia para Ele. Em 2009, vi o quanto sou dependente Dele!

Não sei o que vai ser 2010, mas o espero com todas as forças!

28
Dez
09

vivendo coisas novas!

Sim, estou vivendo coisas novas!

É claro que o novo sempre gera um certo medo, desconforto ou tensão. Mas permitir-se viver o novo torna a vida bem mais interessante.

E foi exatamente o que eu fiz!

O amor, em todas as suas situações, deixou minha vida cheia de cor, de brilho e de luz.

É diferente de tudo o que já vivi, é diferente do que já senti, é diferente do que já sonhei.

Isso tudo me lembra o perfil do Orkut de um amigo meu que diz assim:

“Felicidade é o que sinto agora!! Se puder eu danço ..grito, me arrisco.. canto pra vc, toco violão …eu espero, peço aumento..esmurro o ar..te dou um forte abraço ..faço segunda-feira ser feriado!!! Eu pego a estrada.. eu amo… faço valer a pena!!! Essa será a minha eterna busca: morrer para mim mesmo,
e renascer, mais humano, a cada novo dia!”

Felicidade… isso é o que interessa e é isso que estou sentindo agora!

26
Dez
09

Liberdade

“Infalível é olhar no olho, daquele jeito que deixa claro que ali só existe espaço para o que há de mais verdadeiro em cada um.

Infalível é o desejo de felicidade, acompanhado por ações que vão nesse mesmo sentido.

Nunca contra.

Infalível é a gargalhada fácil. O abraço apertado. O cheiro que arrebata. O gosto que enlouquece. O toque que causa o arrepio inevitável.

Infalível é aquela música. Que insiste em tocar o tempo todo, até quando não tem música tocando.

Infalível é o amor.”

Como é bom amar e ser amada!

Definitivamente, o amor deixa as pessoas mais felizes!

Ah… e como estou feliz! ♥

22
Dez
09

A vida!

“Por que tenho medo de dançar, eu que amo a musica e o ritmo e a graça e a cançao e o riso?

Por que tenho medo de viver, eu que amo a vida e a beleza da carne e as cores vivas da terra e o mar?

Por que tenho medo de amar, eu que amo o amor?”

Permita-se!

Afinal, tudo está previsto!

20
Dez
09

Pq crer em Deus?

Relato de um cientista Razões para Crermos em Deus.

Por A. CRESSY MORRISON Ex-presidente da Academia de Ciências de Nova York

“NÓS AINDA ESTAMOS NO AMANHECER da era científica, e todo o aumento da luz revela mais e mais a obra de um Criador inteligente. Nós fizemos descobertas estupendas; com um espírito de humildade científica e de fé fundamentada no conhecimento estamos nos aproximando de uma consciência de Deus. Eis algumas razões para minha fé: Através da lei matemática podemos provar sem erro que nosso universo foi projetado e foi executado por uma grande inteligência de engenharia. Suponha que você coloque dez moedas de um centavo, marcadas de um a dez, em seu bolso e lhes dê uma boa agitada. Agora tente pegá-las na ordem de um a dez, pegando uma moeda a cada vez que você agita o bolso. Matematicamente sabemos que a chance de pegar a número um é de um em dez; de pegar a um e a dois em seqüência é de um em 100; de pegar a um, dois e três em seqüência é de um em 1000 e assim por diante; sua chance de pegar todas as moedas, em seqüência, seria de um em dez bilhões. Pelo mesmo raciocínio, são necessárias as mesmas condições para a vida na Terra ter acontecido por acaso. A Terra gira em seu eixo 1000 milhas por hora no Equador; se ela girasse 100 milhas por hora, nossos dias e noites seriam dez vezes mais longos e o Sol provavelmente queimaria nossa vegetação de dia enquanto a noite longa gelaria qualquer broto que sobrevivesse. Novamente o Sol, fonte de nossa vida, tem uma temperatura de superfície de 10.000 graus Fahrenheit, e nossa Terra está distante bastante para que esta “vida eterna” nos esquente só o suficiente! Se o Sol desse somente metade de sua radiação atual, nós congelaríamos, e se desse muito mais, nos assaria. A inclinação da Terra a um ângulo de 23 graus, nos dá nossas estações; se a Terra não tivesse sido inclinada assim, vapores do oceano moveriam-se norte e sul, transformando-nos em continentes de gelo. Se nossa lua fosse, digamos, só 50.000 milhas mais longe do que hoje, nossas marés poderiam ser tão enormes que duas vezes por dia os continentes seriam submergidos; até mesmo as mais altas montanhas se encobririam. Se a crosta da Terra fosse só dez pés mais espessa, não haveria oxigênio para a vida. Se o oceano fosse só dez pés mais fundo o gás carbônico e o oxigênio seriam absorvidos e a vida vegetal não poderia existir. É perante estes e outros exemplos que NÃO HÁ UMA CHANCE em um bilhão que a vida em nosso planeta seja um acidente. É cientificamente comprovado, o que o salmista disse: “Os céus declaram a Glória de Deus e o firmamento as obras de Suas mãos.”

Jesus, Savior.




Anúncios
Outubro 2018
S T Q Q S S D
« Jan    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031